Covid-19: prevenção nas ruas e na economia

Covid-19: prevenção nas ruas e na economia

Brasil está em alerta sobre a pandemia do coronavírus (Covid-19) e Ministério da Economia adota medidas de emergência

 

Sobre o Coronavírus

Em 31 de dezembro do ano passado (2019), a Organização Mundial da Saúde revelou que mais de duas dezenas de casos de pneumonia, de origem desconhecida, foram detectados na cidade chinesa de Wuhan – província de Hubei lá na China.

A situação evoluiu e, em 15 de janeiro deste ano (2020), a China divulgou informações para a diretora-geral da Saúde de que o “surto estava contido e que uma eventual propagação em massa não era uma hipótese no momento para ser equacionada”.

Foi então que em 21 de janeiro, surgiu o primeiro caso de Covid-19 fora da província chinesa – caso foi registrado nos Estados Unidos, em uma pessoa que havia regressado de Wuhan.

A partir daí a situação se agravou e a OMS decretou pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

No Brasil

Até a publicação deste artigo, foram confirmados 321 casos de contaminação,1 registro de óbito e um caso de recuperação.

Para evitar propagação do vírus, escolas, universidades e estabelecimentos estão fechados para evitar aglomerações. Além disso, empresas de diversos setores estão aderindo ao home office para garantir o funcionamento operacional e manter a saúde do quadro de funcionários.

 

Reflexo na Economia

O ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou ontem (16 de março) um conjunto de ações para equilibrar o setor econômico do país diante do desafio global acerca do Coronavírus. Pagamento de FGTS e suspensão de alguns impostos – por 90 dias -, estão dentre as medidas apontadas.

Ações

  • O setor empresarial poderá postergar, em até 90 dias, o pagamento do Simples Nacional e FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) para trabalhadores do Brasil;
  • Aposentados e pensionistas terão duas parcelas do 13º antecipadas;
  • Governo irá liberar cerca de R$3 bilhões para o Bolsa Família.

Impacto

  • Adiamento do prazo de FGTS (90 dias): resultado de R$30 bilhões;
  • Adiamento Simples Nacional (90 dias): aproximadamente 22,2 bilhões.

É válido lembrar que o momento requer atenção e medidas preventivas devem ser adotadas – sejam elas no âmbito social ou econômico.